São tolices…

Dino Valls – O navio dos tolos

E então vieram aqueles dias, mornos, eu diria,
Onde a juventude comprava seus sonhos com esperança,
E a esperança era adquirida por simples força de acreditar,
A crença de que nós somos feitos de promessas e desafios.

E os sábios já diziam, que os tolos são felizes, justamente,
Porque acreditam no poder do de não ter medo da descrença,
Então, os tolos, creem, que o pior dos medos humanos e naturais
É ter medo do mesmo medo dos incrédulos…

É tolice…Eu sei…

Anúncios

Mova-me

As ondas, quebradas à beira mar…
Molhando meus cabelos, meu corpo…
Sinto então o salgado mar, que ironia!
Escorrendo nos lábios, já sentiu isso antes?
É desconcertante, a sensação,
De um milhão de fagulhas salgadas,
Meu suor, minha dor, meu paladar,
Tudo tão salgado…Áspero…
Feito o mar de todos os Deuses,
Feito a areia que escorre entre os dedos…
O sol, a iluminar, o meu sorriso, incrédulo?
Talvez…
Os olhos, os cabelos, o rosto…Quentes,
Com os raios de sol que um dia nos matará,
O fim chega pra todos nós… e o meu Amor?
Acabará um dia, ou o levarei comigo,
Para uma eternidade, um lugar que ninguém,
Nunca voltou pra dizer que existe…Sou cética?
Talvez…Mas meu Amor, olhe o céu lá fora…
Cores alaranjadas, raios de luz, estrelas brilhantes,
Por um instante, um único instante, porém tão Eterno…
Eu olho para os céus, inquieta…e me calo,
Me calo na calada da noite, nos raios de sol, estrelas…
Mantenho-me calada…O silêncio me move.

Express

A vida toda, fantasia escritas em lápis carvão,
Desenho-lhe a boca em vermelho carmim,
Traço-lhe os olhos em verde oliva, emoção?
Diante da obra prima meus olhos lacrimejam,
Minha pele, gelado suor, minha alma?
Minha alma grito insano, Amor meu.

Das noites insones, conversas sensuais
Pensamentos picantes tímidos,
Cantando o sexo em tom maior,
Nosso refrão é tão lascivo, nossa pele, suor,
Venha e deite-se, sem medo e sem pudor,
A vida, numa tela, pincéis e tinta, vermelho e azul.

For a friend

Escale pra cima do topo
Procure o estado da alma
você tem que achar por si mesmo
se está mesmo tentando de verdade
Porque não tentar
Liberte-se, tome controle
E inevitavelmente vai
achar por si mesmo todas as forças
que tem dentro de você

Eu poderia contar-lhe várias histórias e estórias,
Eu poderia murmurar uma canção ao pé do ouvido,
Eu poderia simplesmente olhar você dormir,
Eu poderia pensar em um milhão de coisas sujas,
Ao ver teus lábios movendo enquanto fala comigo.

E essa tristeza toda que não me deixa em paz,
Eu poderia fazer-lhe algo para lhe deixar mais feliz?
Eu posso contar-lhe uma piada sem graça,
Ou um fato engraçado que ocorreu na minha infância,
Eu posso contar-lhe que quando eu era criança,
Eu subia escondido no telhado com saquinho de pipoca
“A vida vista de cima”, é tão emocionante meu bem…

Eu poderia contar-lhe, que eu falo sozinha,
Quando eu erro, eu me xingo e sinto-me ofendida,
Eu poderia dizer-lhe que acredito em extraterrestres,
E eu lhe diria que eles são seres bonitos e sensuais,
E então eu diria que você é um deles, e minhas bochechas,
Ahh…minhas bochechas ficariam vermelhas, e você então riria,
E esse teu riso me encheria de felicidade.

E eu poderia dizer-lhe, que minhas ultimas madrugadas,
Noites quentes repletas de insônia, meu contentamento
É ver-te feliz, chegando assim, de mansinho,
Dizem por aí que as melhores coisas desta vida,
Chegam de repente, do nada, sem aviso,
Você aterrissou de para-quedas, e desde então,
Minhas madrugadas insones estão mais alegres,
E no fim da noite vou dormir com um sorriso no rosto.

Fique bem consigo mesmo meu amigo, seja feliz!
A vida é difícil, eu sei, temos altos e baixos,
Minha mãe dizia que a vida é feito o desabrochar de uma flor,
A sua beleza está no auge de suas pétalas abertas e bem nítidas.
As flores murcham, caem, mas depois nascem novamente,
A tristeza é apenas uma fase, assim creio eu,
Portanto, sua alegria estará de volta, e eu anseio por isso,
Aqui, de longe, estou bem perto de ti, e o meu carinho,
Chega-lhe devagarinho como um cafuné na cabeça.

Doce Novembro

1 -Noite de Segunda
Mais um dia de trabalho comum. Depois de uma segunda-feira em maus-lençóis, com os braços inflamados de picadas de agulha devido à exames médicos, a terça-feira chegou dizendo: “Hello!I’m here badass!”. Depois de uma segunda-feira dia de trabalho, algumas risadas, códigos, resolução de alguns problemas que vinham torrando meu saco há tempos, uma dieta de frutas sem bacon e coisas gostosas, tais como chocolate, devido a um problema alérgico bem chato que anda me preocupando e tirando o sono que há muito tempo não conheço, fui para minha tradicional caminhada noturna. Mais uma vez, com meus tradicionais fones no ouvido, me coloquei a andar em passos largos, enquanto meus pensamentos armavam uma rebelião contra minha pessoa.
* TRECHO ESCRITO DIA 12/11

2- Insônia
Como podem ver, são agora, no momento em que eu escrevo, exatamente 04h44, desconsiderando os segundos, claro, uma vez que não temos certeza absoluta do tempo que passa, mas enfim, sem querer viajar muito na noção de tempo-espaço, afinal, eu estou longe de ser um Hawking da vida. Nessa coisa de escrever algo e demorar 2 semanas ou mais para publicar, faz-me perder uma certa linearidade, mas faz parte…
*trecho escrito na quinta feira passada…

3 – So Real

Love, let me sleep tonight on your couch

E quando o Amor bate à vossa porta, ele faz uma careta engraçada. Convida-lhe para tomar um café da manhã, com ovos e bacon, um almoço com frango grelhado e salada, um chá da tarde com torradas. E então ele lhe conta estórias, sim, “história” com “e”, porque nós nunca sabemos até que ponto o que ele nos diz é verdade, mesmo nos olhando nos olhos, sabemos que o seu sorriso é dissimulado, e os seus passos alegres são como a dança de um bêbado saindo de um bordel, dando um tchau para as putas que ficam na soleira da porta.

4 – Domingo bossa nova.
Teve um domingo, dia destes, que fiquei o dia todo lendo, regado à bossa nova. Tempos atrás isso me dava sono. Achava que a bossa nova era uma coisa muito “elite” pra minha pessoa. Basta ir a um restaurante chique, pode ver que é jazz ou bossa nova. E ficam lá os ricos, esnobes com suas tacinhas de champanhe mesquinhas que valem talvez mais que o aluguel que eu pago todo mês. E as mulheres com suas echarpes de seda, sendo seduzidas, pelo dinheiro que quase tudo compra. E eu fiquei aqui, na minha humilde casinha, entre uma leitura ou outra, vivendo minha pseudo-riqueza tão feliz, assim, sem um tostão no bolso.

5 – Semana de repouso
Segunda feira dos infernos, mal conseguindo ficar de pé por causa de uma maldita doença que anda me tirando o sono. Meu chefe me leva ao médico, eu entrei em desespero no trabalho ao sentar na escadaria e entrar numa crise de chora enquanto segurava um misto quente que já não era tão quente e um chá gelado de pêssego. Cheguei ao hospital, cinco dias de afastamento, pois stress só piora o quatro. Mal conseguindo ficar em pé, fui para a casa dos meus pais, afinal, ninguém merece ficar sozinha, doente, em casa. Sinto falta do trabalho…

6 – Cães e solidão
Estava falando com um amigo meu sobre cães. Em 2013 pretendo morar em um cafofo com um quintal só meu. E então terei um cão. Animais são os melhores amigos do homem não é?Eu não me vejo nas profecias bullinescas que eu sofria no colegial, que eu ficaria sozinha com um cão, aliás, estava pensando nisto. Esta coisa de eu brincar de eremita, como dizia um outro amigo meu, já está durando tempo demais. Estou tornando-me uma pessoa sociopata, aquelas que acham normal passar um feriado prolongado sem ver um único ser vivo, uma coisa normal. Desde então, comecei a sair novamente. Agitei happy hours com os amigos, mesmo sem eu não poder beber, fui ao cinema, duas vezes sozinha, e outra com meu irmão. Ajudou-me a sentir melhor, mas eu sinto falta de chegar em casa e ser recebida com festa e lambidas na cara. Saudades da Zazá, Bolinha, Leão, Branco, Ruferto, Leão, Átila, Gabi,Bocão, Pretinha, Lindinha, todos os meus cães em 25 anos de vida. Saudades do Zé Pretinho, Florinda e Kubrusly, meus hamsters que deixei em Porto Alegre, na minha antiga vida.

7- Sono… a falta dele.

Eu deveria estar dormindo agora, neste exato momento. Mas, sendo uma pessoa hiperativa e com 5 dias de afastamento do trabalho, dormir é algo que ando fazendo o dia inteiro, quando não estou lendo ou brincando com minha irmãzinha. Enfim, eu poderia ter uma qualidade de vida melhor, se eu tivesse as tão faladas 8 horas de sono por dia?Sim, talvez, mas só o tempo pode me dizer. Eu me sinto seduzida quando as luzes naturais se extinguem, a escuridão me faz pensar melhor, e é ela que faz meus pensamentos tomarem forma…