Preste atenção…o mundo é um moinho.

“Preste atenção querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás a beira do abismo
Abismo que cavastes com teus pés.”

Eu me lembrei hoje, conversando com meu amigo, sobre músicas que nos revelam, ou que traduzem nossos sentimentos. Cartola gravou uma música, chamada “O mundo é um moinho”, divinamente regravada e interpretada por Ney Matogrosso, e eu digo que esta música me traz uma lembrança dos tempos de adolescência. Minha mãe sempre disse que é necessário não alimentarmos ilusões nessa nossa vida tão breve. Ela tentou me ensinar a usar a razão ao invés da emoção, pois as emoções sempre, por mais que elas sejam mais intensas, esse nosso sadismo inexplicável de alimentarmos falsas expectativas, alimentarmos nossas ilusões como se déssemos leitinho para o gato lindo e fofo que fica miando na sua porta de madrugada. Nossos sonhos não são como gatinhos fofinhos. Para alcançá-los temos que batalhar, desde que tenha fundamento, e a nossa tendência é fantasiar. Simplesmente fantasiar, alimentar expectativas que só vão nos fazer sofrer depois. Eu me lembro, que um dia, nos meus tempos de aborrescência, peguei uma folha de sulfite, e escrevi em letras grandes e de caixas altas: “NÃO TENHA ILUSÕES”. Peguei uma fita adesiva e colei o bendito sulfite atrás da porta do meu quarto. Isso então, se transformou em um ritual. Eu acordava e via o papel com aquelas letras enormes e propositalmente legíveis(matei aula nos dias de caderno de caligrafia), eu lia e relia o “NÃO TENHA ILUSÕES”, e então eu saia de casa com essa ideia na cabeça. Confesso a vocês que isso nunca funcionou, se funcionar com você, que me lê, escreva nos comentários, porque eu queria muito uma solução milagrosa e funcional, ao contrário do que as revistas de mulherzinhas, presentes em qualquer tipo de salão de beleza prega, de uma maneira geral, bem ridícula.

Tem uma imagem que circula por aí, que é o cérebro e o coração, lado a lado, tentando se equilibrar num meio-fio. Isso é uma linha tênue que todos nós, durante a vida toda, fracassamos ao tentar ter esse equilíbrio, e muitas vezes queremos jogar fora o coração e centralizar nosso peso nesse órgão que carregamos dentro de nossos crânios, e que infelizmente é muito mal utilizado em todos os aspectos em várias pessoas. Quantas vezes eu pensei, que o meu coração deveria apenas bombear sangue para o meu corpo?Inúmeras e inúmeras vezes eu já me vi e me vejo, constantemente, olhando para o meu peito e gritando, “maldito e belo coração desenfreado filho de uma puta”. Simples assim, nós alimentamos nossas ilusões, e depois quando nos sentimos machucados ou quando abrimos os olhos, caímos na real e ficamos feito idiotas nos culpando o tempo todo. Seria tão simples, se fossemos mais racionais do que emocionais. E eu me pergunto, se essa linha tênue tivesse apenas consistência na nossa razão, existiria o Amor romântico?Sim, estou falando de Amor, afinal, qual é o sentimento que mais nos faz sofrer nessa nossa vida tão bonita, mas em outras uma verdadeira vida de merda?Quem nunca deitou na cama, fechou os olhos e imaginou uma vida normal ao lado de alguém que você acredita que seja quase perfeito, e depois quando você realmente acorda pra vida e vê que tudo aquilo é uma merda, que você só fez merda, só tomou bem no meio do toba, arrumou pra cabeça, e o melhor de tudo, a faixa bem grande que área criativa e sagaz do seu cérebro, tão pouco usado nos momentos em que está alimentando o gatinho da ilusão: “Eu avisei”, “Você fez merda”, “Eu disse que não iria dar certo”, “Você foi impulsivo demais”, “Eu te falei que seria apenas sexo”, “Quem mandou você não escutar sua mãe?”, “Eu te disse que ele era gay” (essa deve ser muito triste), “Eu te avisei que você seria apenas “a outra”, “Eu te disse, você era apenas o alarme de incêndio” (expressão muito utilizada para os casos de “como só tem tu, no momento, serve você mesmo, ou seja, na falta de opção, a pessoa pega seu martelinho, e aciona, você, o (a) trouxa, para te chamar e apagar o fogo, simples assim). É sempre aquela coisa, “eu achava que”, “eu acreditava que”, “eu deveria”. O coração humano é frágil, é besta, acredita em tudo o que é dito pra ele. Ele se sente extremamente ameaçado perante situações de incertezas, falsas acusações, mágoas, desentendimento. Ele não chega em um consenso do  “é assim, assim assado”, “2 + 2 são 4”, na linguagem do coração, o “é assim” se transforma sempre no “mas”, “mas, pode ser que”, “mas não deve ser isso”, “mas ele/ela gosta de mim, do jeito que eu sou”, “mas, ele, ela vai me ligar”. Quando vamos entender que nosso coração é cego, surdo e mudo?Muitas vezes eu imagino que devemos ter algum gene que sofreu uma mutação maligna e nos faz agirmos feito idiotas babões, alimentando nossos gatinhos chamado ilusões. Nossos atos impulsivos, sem-noção, irracionais, os nossos constantes “eu acho”, “mas pode ser”, “e se…”, é o prato de leite que oferecemos para nossas ilusões, que são nossos gatinhos fofos(tem gente que alimenta várias ilusões ao mesmo tempo, e tem algumas ilusões que não são gatos, mas sim, duendes… A minha ilusão tem um nome carinhoso de Frajola, pois é um gato preto e branco. E o pior, é que sempre, depois de uma cagada homérica e outras nem tanto, eu digo que, vou usar mais o meu cérebro. Ok. Eu usei, mas tempos depois está eu lá com o meu gato todo lindão e bem gordo, alimentado com leite de primeira, aqueles de garrafa, que vende em padocas a R$3,50 ou/e rações Wiskas cheias de frescura.

Nada de amor romântico, nada de paixão, na idade da pedra. O homem evoluiu ou só tende a sofrer ainda mais com o passar do tempo?

Porém, temos uma coisinha muito útil chamada tempo, que temos que agradecer que o cérebro resolve tomar um Sustagem, um Biotônico Fontoura, Farinha Láctea,  depois de algumas mágoas e algumas provas de quanto somos imbecis, em muitos aspectos, e todos sabemos disso, apenas ignoramos nossas babações românticas e piegas, nosso cérebro aciona o alarme e dá uma porrada no coração. O que acontece?Sem mais a venda nos olhos, colocada “gentilmente like a gentleman”, por nosso coração traiçoeiro e troll, nós vimos que gastamos muitos recursos em vão para alimentar o gato que não nos dá nada em troca, só algumas arranhadas bem cortantes e em algumas pessoas, cicatrizes eternas, um sentimento, um coração desfigurado, só curado pela plástica infalível do tempo ou um bom, um ótimo terapeuta, ou se você for idiota o bastante, uma outra pessoa, utilizada como uma peça de lego ou de tetris. Você usa para preencher o espaço que o outro ou outra deixou vazio. Quando você vê um lego mais bonito ou um encaixe que julga ser mais “sensato” (sempre achamos nossas atitudes SENSATAS, não importando a hora do dia), você joga a pecinha fora e substituí, então a pecinha de Lego ou nova forma do Tetris acaba te oferendo uma outra dimensão, e então o que acontece?Nos apaixonamos por essa modelagem e partimos para o próximo estágio, que é o “ilusions again level 10 other dimension”. Pois é meus amigos, o ser humano é teimoso, e muitas vezes, quando leio algo do Flávio Gikovate, a respeito da individualidade e do egoísmo humano, aquela coisa de que todos, homens e mulheres estão concentrados naquilo que eles estão focados como planejamento de vida e tendem cada vez mais em pensar em si próprios, eu me pergunto, são as ilusões que estão deixando o homem(mulher) cada vez mais desacreditados, depois de alimentar o imenso e gordo gato chamado Ilusão, que sofre ou sofrerá, um dia, quem sabe?, um infarto, e você sem o gato Ilusão para alimentar, acaba focando mais naquela voz que te avisou o tempo todo, em faixas enormes, no meio do muro responsável em separar a razão da emoção: “NÃO TENHA ILUSÕES”.

“Ouça-me bem amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões à pó.”

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Preste atenção…o mundo é um moinho.

    1. Tatiane, perdoe-me responder tão tarde! Andei afastada, agora estou revendo meus textos e voltando a escrever. Este texto eu considero que sempre vai ser algo muito atual. Muito. Aliás, na época eu não tinha um gato, agora eu tenho, e incrível, ele é preto e branco e se chama Frajola. E eu aprendi que não se deve dar leite pra gatos. E que Wiskas não é a melhor opção.

      Abraço forte!

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s