All flowers in time…

All flowers in time bend towards the sun,
I know you say that there’s no-one for you
But here is one, here is one… here is one

Um sorriso estarrecedor do Amor velho, surdo e mudo,
Meus olhos te veêm como uma escuridão mal-compreendida,
Sua natureza cheia de dualidades, na sua escuridão,
Eu posso ver suas cores embora não acredite nisso,
Nesta noite, pode acreditar, meu sorriso tão tímido,
Meu sorriso seria mais completo se estivesse por perto,
Mas você não acredita nisso, sou apenas uma mulher,
Querido, sou apenas uma simples mulher nesta noite,
Voltei para casa nesta noite, pensando em ti,
Com um sorriso triste, eu olhei pela janela,
Então eu pude relembrar sua imagem, atravessando a rua,
No mesmo lugar que eu lhe vi dias atrás, dentro de um ônibus,
E eu me lembro, que naquele momento, tristemente,
O tempo, a razão, tudo parou naquele momento, sem sentido
E então eu não pude fazer nada além de sorrir,
A vida naquele momento, estava em movimento…

Eu acredito velho Amor, eu existo, uma simples mulher,
Talvez seu ódio ou medo me afaste, eu sinto o Tempo,
Me enamorar com os olhos, somente ele, me vê agora,
Nesta manhã sonhei contigo, mas o que lhe importa isso?
A única coisa que eu tenho de ti, são meus sonhos,
E muitas vezes eu não consigo mais recordar que vi teu rosto,
A única coisa que eu vejo são traços difusos, como uma pintura,
Uma pintura triste, com vários borrões, mas eu sinto,
Seu cheiro numa forma tão realista que acordo assustada,
E por instantes eu gostaria de nunca mais acordar.

Mas meu amigo, o que importa?Você não se importa?Sinceramente, eu não sei…
Eu me curvei aos seus pés, eu ainda permaneço de joelhos e eu continuo te olhando,
Mas meus joelhos doem tanto, se ao menos eu conseguisse, me levantar,
Eu poderia lhe dar um beijo imaginário de Adeus, quando eu me levantasse,
Eu olharia dentro de teus olhos, poderia acariciar teu rosto pela primeira e última vez,
E poderia como uma ciborgue, emular um frieza destemida e dizer-lhe,
“Adeus meu velho amigo, adeus meu velho amor, adeus minha coisa doce,
“Adeus criança bonita”, eu lhe toco com minhas velhas luvas brancas, apenas para não sentir,
Estas minhas mãos tão frias e trêmulas a lhe tocar suavemente.
Esta noite eu poderia cantar alguma canção, mas minha voz desapareceu…

E eu me sentia tão completa quando você me olhava nos olhos,
Porque tu, meu velho e singelo Amor, com sua deliciosa conversa de fim de dia,
Foi o único a ver minhas verdadeiras cores, e não um esboço, em preto e branco,
E então a única coisa que me resta é apenas suas fotografias que eu evito,
E hoje eu vejo, que era somente isso que eu poderia ter, tua beleza estática.
Oh Deus!Abençoe cada momento dessa Mulher tola incapaz de esquecer,
Oh Deus!Abençoe cada momento deste Homem que amo, tão distante e frio
Talvez querido, se eu tivesse te tratado mal, como um brinquedo velho,
Um jogo de marionete, talvez se eu tivesse pisado e cuspido no seu ego,
Talvez se eu tivesse zombado do seu orgulho, mas eu apenas te amei,
Eu apenas te amei e sinceramente também te odiei nesse teu silêncio,
Criança bonita, só Deus sabe o quanto eu te amo silenciosamente,
Apenas Deus sabe que ao mesmo tempo que eu lhe ofendo em pensamentos,
Quando eu te mando para o Inferno, eu queria ir contigo também.

Somente fui sincera o tempo todo dando esse meu rosto para bater,
E eu sinto ele tão dolorido o tempo todo, eu amava…Deus sabe o quanto eu amava,
Passar a noite conversando contigo…e o Tempo passava tão rápido, e eu me sentia tão bem.
E eu me pergunto o tempo todo, o que eu fiz de errado?Sou tão imbecil assim?
Pela primeira vez nesta vida eu fui mulher, talvez…Meu Velho amor, eu deveria,
Eu deveria ter silenciado como uma noite fria e vazia, eu deveria meu querido,
Ter te amado como todas as paixões furtivas de meus velhos 15 anos,
Paixões platônicas de uma colegial tímida, com livros a tiracolo e blocos de anotações,
Apenas te amar no silêncio devastador, eu estaria talvez, menos triste agora,
Esta noite eu poderia escrever um poema mais alegre, não sincero e insensato,
Esta noite eu poderia amar qualquer outro homem, brincar de gente adulta sem compromisso.
Esta noite eu poderia negar todo e qualquer sentimento por ti nos braços de outro homem,
Mas esta noite, meu Amor, meus olhos grandes alegremente tristes, são somente teus.

Se tu ao menos me olhasse nos olhos, mas você é apenas minha velha incógnita,
E como você disse, “nós não nos conhecemos não é?”, eu deveria ter lhe escutado,
E me ausentado por um longo tempo, até que meus sentimentos fossem embora,
Mas eu me aproximei demais e agora eu não tenho mais forças, eu já estou perdida.
Eu queria apenas me encostar em teus ombros e te contar alguma história,
Eu queria apenas te fazer rir, eu ficaria feliz se eu te fizesse sorrir,
Eu queria apenas lhe dar as mãos e te desejar boa noite todos os dias,
Eu queria apenas que tu afastasse meus cabelos de meus olhos, e me pedisse,
Que eu não me esconda mais, porque você nunca me olhou nos olhos.

Eu não tenho mais forças para ser sensata e deixar de te amar, talvez, eu deveria,
Gastar todo meu amor nos braços de outro homem, mas esta noite meu Amor,
Nesta velha esquina com luzes amarelas, eu apenas espero com todo o meu Amor,
Este velho homem que um dia me disse que não entendia como eu poderia amar, se…
Nós nem ao menos…nos conhecemos…nem ao menos fomos apresentados, um ao outro.
Nem ao menos…nem ao menos…mas você me cativou e por isso meu querido,
Por isso que agora você é único neste mundo…ao menos, aceite isso, sem me julgar.
E quando se perguntar porque eu te amo, lembre-se disso,
Não é algo tão difícil de entender, lembre-se disso minha doce incógnita,
Lembre-se disso quando me ver atravessando a rua, com pressa e distraída.

Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro…
Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…
…Se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol! Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros.
Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música…

—————————————————————————————–
1ª citação: Trecho da música “All Flowers In Time Bend Towards The Sun”, cover de Jeff Buckley, com participação especial de Elizabeth Fraser. A música é composição de Jeff Beck, mas como sempre, os covers de Jeff Buckley são muitas vezes melhores que o original.
2ª Citação: livro infantil que serve para uma vida toda: “O Pequeno Princípe”, de Antoine de Saint-Exupéry.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s