The Battle of Evermore

No meio de tudo há o Nada,

O conjunto vazio da matemática,

Eu vejo os números imaginários no ar,

Eu tento resolver equações sem solução,

Usando métodos longos e cansativos,

E no meio desse Caos, dessa poesia,

Há o cheiro doce…Caramelo…

E no meio da noite as estrelas caem,

Caem neste lugar, onde as estrelas dormem,

Me dê um pouco disso, só um pouco,

Um pouco de cada vez, eu me aconchego em teus pés.

Lá…lá onde as labaredas queimam,

Lá onde está está queimando uma fogueira,

Os meus medos estão queimando,

O meu corpo, minha alma, pega fogo,

O Caramelo está derretendo, na fogueira,

Estou queimando a ponta de meus dedos,

Delirando no cheiro doce e quente

Caramelo…Caramelo…

Eu queimo meus dedos e a ponta da língua em ti

Enquanto você está quieto e pensativo sentado em sua pedra,

Eu toco minhas castanholas, no ritmo alucinado de seu pensamento,

Eu não sei qual é o ritmo, mas eu toco como eu acredito que seja,

Tudo começa suave, tem seus momentos de fúria…depois vêm a paz…a treva de novo.

Pode ouvir meu Amor?As castanholas batem fortemente uma na outra…depois…

Suavemente, acompanhando notas doces de um violão espanhol…

Notas doces…com cheiro de Caramelo…

Enquanto toco minhas castanholas,

Estou batendo meus pés num ritmo flamenco,

Eu te vejo sentado numa pedra, numa linda pedra

Há pedras menores, cobertas de musgos,

[Ao teu redor]

Meu Amor, você não escorrega neles, e não conversa com eles

[Eu não cheguei nesse nível ainda]

Você diz…você diz…Eu me lembro…eu me lembro

De cada palavra que me diz, sabia disso?

Estou estalando meus dedos, te convidando pra dançar

A fogueira está queimando, o Eremita está em silêncio,

[“Quando eu brinco de ermitão”, ele diz….]

Eu estou esperando meu Amor me chamar,

Estou entrando em Colapso,

Estou absorvendo todas as emoções e sensações em meu redor,

Amor estou queimando, jamais negarei isso,

Amor, olhe o horizonte…e sinta…sinta,

Pode ver o quanto sua alma é bonita?

Sua alma…sua doce e solitária alma,

Que em momento de Fúria, grita,

Mas ela grita, sutilmente, no Silêncio.

Sua Alma, sua Alma, Meu Amor,

Ela tem todas as cores do arco-íris

E o cheiro de Caramelo, é intenso em ti,

Na escuridão da noite, eu puxo seus fios

Caramelo, Caramelo, Caramelo…

Eu vejo seu reflexo na luz do sol

Você brilha igual um prisma, Meu Amor…Tuas Cores

Tuas cores são cheirosas…são cheirosas

Em três tempos meus pés se movem,

Na minha dança da Andaluzia,

Eu abro e fecho meu leque, escondendo meus olhos,

Mas eu mostro meus punhos, e o dorso de minha mão,

Elegantemente deixo escapar um pedaço de minhas perdas,

Enquanto rodopio com as castanholas chorando em minhas mãos,

E você está lá, fumando um cachimbo…Coisas de Eremita…

Eremita, apague a luz de sua lanterna,

Eu quero te iluminar com a luz de minha fogueira eterna,

Eu a acendo somente para ti, Eremita,

O combustível dela, é apenas meu Amor,

O Tempo apenas a torna mais forte…apenas a alimenta sua combustão.

Eleve-se no alto das montanhas,

As pedras rolam montanha abaixo,

O deslocamento delas move a terra,

E então a terra se mistura no orvalho,

Sinta o cheiro, Meu Amor, sinta esse cheiro.

Agora…Agora…Agora…Agora…Agora

Pode sentir Agora?Pode sentir Agora?

As pedras rolam, as pedras rolam,

Montanha abaixo, Montanha abaixo,

Caindo dentro de um lago, dentro de um lago.

Há luzes coloridas no céu…Amor…consegue vê-las?

Auroras Boreais, Amor, já viu uma Aurora?

As fagulhas da minha fogueira, quando sobem para o Céu,

Ficam dançando lá no alto…Aurora Boreal…Fogueira Boreal,

É o calor de minhas emoções, a Fúria de meus sentimentos.

Dançando na escuridão da noite,

Num quarto fechado o grilo canta,

No meu universo particular, há várias coisas,

Existe o Anjo, o Demônio, existe a criança, existe o Homem,

E são todos uma única pessoa, O Eremita…

Meu tempo é o aqui e o agora…e o depois

Neste lugar…neste lugar…

Amor, olhe o horizonte, o sol está sorrindo,

Eu vejo as rosas perto de ti, num canteiro,

E elas meu Amor…são lindas, cheirosas

Mas o cheiro de Caramelo predomina,

Todo o Tempo…neste lugar…quando tu me olhas

Por dentro, assim, mesmo de longe…Meu Amor,

Você é único, Eremita que lê pensamentos.

Amor, cante uma canção para mim,

Cante um poema na beira da fogueira,

Diga Bang!Diga Bang!Diga Bang!

E então eu cairei rindo!E depois vou correr,

Vou correr numa dança andaluz…

Basta você bater palmas ritmadas,

E eu voltarei perto de ti…agora eu estou voando

Voando com minhas asas quebradas…

Amor, tem uma árvore seca de galhos retorcidos,

Querido, eu amo árvores, venha comigo…

Estou subindo numa árvore, estou esperando você dizer,

[Você é teimosa, “você já quebrou alguma coisa?”]

[“Lembra que eu te falei?Tome cuidado!”]

Amor, estou te observando, como uma coruja numa árvore,

Meus olhos são grandes, tudo em meu rosto, é exagerado.

Estou sentindo minha paz agora,

Neste lugar, tão escondido, sorria meu Amor!

Quando você está no alto de sua montanha,

Consegue me ver sorrir?Amor, estou em Colapso.

A areia do tempo está escorrendo em minhas mãos,

Grão a grão, eu estou construindo meu espelho,

Você construiu sua redoma, sua redoma nas montanhas,

Eu estou construindo um espelho, Amor…estou te vendo

Enquanto está sentado aí, na sua pedra,

Com  seu cajado assentado na beira de seus pés,

Eu estou dançando…estou dançando olhando pra você.

E você está olhando para baixo, tocando a pedra com as pontas dos dedos,

De vez em quando você ergue os olhos, e me vê?

Quando você me vê, saiba que estou abaixando meu leque, aos poucos,

Veja um pouco de meus olhos, a cada dia, eles se revelam mais.

Diga Bang!Diga Bang!

Caramelo, eu vejo você em ponto de Bala,

Em meus sonhos, neste lugar que você tanto adora,

Estou puxando todos os seus fios, fios de bala,

Fios de Caramelo derretido!

Estou fazendo um vestido para mim,

Pois seus fios, seus fios me aquecem,

Na escuridão da noite, no alvorecer do dia,

Na incerteza dos dias, eu estou te puxando.

Caramelo, tu tens um gosto tão bom…

Caramelo, caramelo…caramelo com cores do arco-íris,

Dance na escuridão da noite, dance, dance comigo.

Eleve sua alma para os céus, ela se transformará

Na mais linda Aurora pela noite, num arco pela manhã…

E diga Bang!Dia Bang!Diga Bang!Meu Amor!Diga…BANG!

Me atinja com seu raio perfumado de luz, me pinte com suas cores!

Agora, Agora,Agora…

Eu estou sentindo a curvatura do tempo espaço,

Eu posso sentir isso…quando eu te vejo…eu derrapo nessa curva,

Eu não tenho medo, de me acidentar nessa curva…ela é Suave…

Quando sinto sua fala, sua conversa, eu estou voando,

Para um novo lugar…um novo lugar…mente angustiada…

Estou indo para o lugar dos esquecidos,

Amor, me tome a mão e diga,

Não abandone a escuridão do seu fogo ambíguo,

Oh Amor, eu estou indo, eu estou indo,

Amor, estou indo embora, me dê um beijo,

É tudo o que eu mais quero, me dê um beijo nas montanhas de Andorra,

E quando me ver partir, quando eu abaixar meu leque, e me ver chorando,

Dia Bang!Diga Bang!Amor, me diga…Bang!

E então, neste lugar, eu ficarei…eu ficarei então…

Somente se me pedir, para que fique

Oh Deus…somente ele sabe o quanto quero

Pertencer a este lugar, este lugar que você chama de seu.

Estou tocando minhas castanholas…no ritmo do seu coração,

Devagar…devagar…ele toca tão devagar…estou encostando em seu peito,

E ele sobe calmamente a cada respiração tua…está cansado Amor,

Te dou todo o Tempo do mundo…Amor, estou esperando

Curtindo uma música com acordes flamencos…

Amor, Estou fazendo um vestido novo,

Amor, Estou derretendo junto com você,

Assim eu acredito, assim estou esperando,

Você se derreter, Amor, se derreta, eu quero seus fios,

Caramelo, Caramelo,

Eu vou me envolver, eu vou te pegar,

Delicadamente, vou enrolar você em volta de mim,

Eu estou com frio meu Amor, seus fios são Suaves…como a seda

São nobres como o linho egípcio, quentes como a lã das montanhas.

Caramelo, Caramelo, o seu cheiro é tão bom!

Assim, mesmo na obscuridade, na reclusão, na distância…

Eremita solitário, saiba de uma coisa:

Lá onde as estrelas caem, eu estou dançando,

Eremita, traga sua lanterna mesmo assim,

Eu tenho minha fogueira, mas ainda assim…está escuro,

Eu preciso de sua Luz, me traga sua lanterna,

Eu sou como uma mariposa, numa dança espanhola,

Eu estou batendo em sua Luz, estou te chamando,

Estou rodopiando em volta de sua Luz,

Ouve esse som…a mariposa está batendo na sua luz,

É o bater das asas da mariposa, é o som das castanholas,

A fúria da abertura de um leque, e o vento que lhe toca o rosto,

É o deslocamento de ar causado por meu manto.

Então, quando puder, quando quiser, quando estiver em paz,

Diga Bang!Diga Bang!Diga Bang!

E então…então eu cairei, enrolada em seus fios…

“Queen of light took her bow
And then she turned to go
The prince of peace embraced the gloom
And walked the night alone
Oh, dance in the dark of night
Sing to the morning light
The dark lord rides in force tonight
And time will tell us all”
Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s