Stars Die – We lost the Skyline

Pedaços espalhados, em cima da cama, dos móveis, no ar,
Respiro metade de minhas convicções, transpiro metade de meu Amor,
E se eu pudesse tocar o céu de meus Amores, tristezas e alegrias,
Talvez este toque seja apenas durante um milionésimo de segundo,
Um momento em que meus lábios sussurram uma canção triste,
Usando exaustivamente todas as notas musicais, em tom desafinado,
Talvez, um pouco petulante, minha canção é apenas um silêncio,
E as estrelas lá no céu de Andrômeda já estão mortas,
E a morte nunca me foi tão bonita aos olhos… Estrelas… Morrem.

Temos um céu de nuvens tímidas lá fora, pequenas formas,
À noite, estrelas, brincando entre quasares pulsantes,
E o meu coração pulsa, no meio da madrugada,
Em frente a minha janela, eu vejo as estrelas mortas lá no céu,
E este céu, o quebra-cabeça de meus pensamentos, unidos,
Levam-me à frente das minhas orações, tão pessoais,
Para aquele Deus que talvez nem exista, como as estrelas,
Cujo brilho talvez já morto, eu acho tão bonito, como um diamante,
Lapidado, feito minha alma tão inquieta, sem preço para comprar.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s